Sesc Sonoridades apresenta shows de Chorinho, Forró e Baião - Sesc

Notícias Sesc CE

Sesc Sonoridades apresenta shows de Chorinho, Forró e Baião

qua 17 de abril de 2019 17:13

Joquinha Gonzaga, Samuel Rocha Trio e grupo Na Base da Chinela são atrações em Barbalha, Sobral e Crato

O projeto Sesc Sonoridades apresenta, em abril, programação musical diversificada para o público do Cariri. A programação começa com o show de Joquinha Gonzaga, sobrinho do Rei do Baião, no dia 21, no Arajara Park, em Barbalha. Em Sobral, dia 25, Samuel Rocha se apresenta em show alusivo ao Mês do Chorinho. No Crato, no dia 29, é a vez da banda Na base da Chinela, com um repertório que atualiza e valoriza a música regional nordestina.

Joquinha Gonzaga iniciou sua trajetória em 1975, acompanhando seu tio como sanfoneiro e segue nos palcos até hoje, na defesa e pela valorização da cultura e da música nordestina, assim como Gonzagão. O show acontece no domingo (21), no Arajara Park, no Juazeiro do Norte, a partir das 15h30. Os ingressos estão à venda no local e os portadores do Cartão Sesc ou do Cartão do Empresário têm 30% de desconto em dias de atividades do Sesc e 10% em dias de funcionamento normal.

O objetivo do Sesc Sonoridades é proporcionar espaço para desenvolvimento e intercâmbio entre grupos musicais do Ceará, contribuindo para fortalecimento da cena musical autoral e experimental por meio de apresentações sistemáticas ou mostras, explica o gerente de cultura do Sesc Ceará, Chagas Sales. Ele destaca que o projeto prima pela diversidade de estilos e gêneros, contemplando a riqueza da produção musical brasileira.

Para celebrar um dos ritmos mais brasileiros, o show Bordando o Sete, de Samuel Rocha, em alusão ao Mês do Chorinho, acontece em Sobral, dia 25. Samuel Rocha tem se destacado na cena musical cearense pela sua dedicação ao violão de sete cordas e por suas composições, inspiradas pelos ritmos regionais e pelo choro.

Já no dia 29, o Sesc Cordel e o Sesc Sonoridades se unem para o lançamento do cordel “Consciência Negra” do poeta Zé Govim, na feira livre do Crato, a partir das 8h30, com a apresentação musical do grupo Na Base da Chinela. O grupo apresenta repertório inspirado nos ritmos tradicionais do Nordeste – como xote, baião, coco e xaxado – executado por jovens músicos na sanfona, zabumba, triângulo e violão.

Com objetivo de estimular a produção da literatura de cordel e incentivar a leitura, valorizando artistas locais, o Sesc Cordel promove lançamento de cordéis na feira do Crato, na última segunda-feira de cada mês. O autor faz a declamação e lançamento, distribuindo os folhetos para os presentes. Uma parte dos folhetos é destinado ao acervo da Cordelteca Luciano Carneiro e também para a unidade de Juazeiro.

Sobre Joquinha Gonzaga – João Januário Maciel é conhecido como Joquinha Gonzaga, nome artístico dado por seu tio Luiz Gonzaga, que desde cedo percebeu o menino com cara de sanfoneiro, dando-lhe de presente uma sanfona de oito baixos ou pé de bode, aos treze anos de idade. Nascido em 1952, no Rio de Janeiro, é filho de Raimunda Januário (Dona Muniz, segunda irmã de Luiz Gonzaga). Em 1975, após sua saída da Força Militar (Aeronáutica), passou a viajar por todo o Nordeste acompanhando o Rei do Baião, como sanfoneiro.

Em 1986, Joquinha Gonzaga gravou seu primeiro disco, pela gravadora Top-Tape (RJ), intitulado “Forró Cheiro e Xamego”. Em 1988, Joquinha Gonzaga foi convidado a participar de uma faixa do disco de Gonzagão, intitulado “Aí Tem”, cantando, “Dá Licença Pra Mais Um”, de autoria de João Silva, no último trabalho de Luiz Gonzaga pela RCA Vitor. Em 1989, Joquinha Gonzaga grava seu segundo disco. Em 1990 grava o LP “É Só Se Remexer”. Após o falecimento de seu tio Gonzagão e seu primo Gonzaguinha, Joquinha Gonzaga se transfere do Rio para Exu, para cuidar dos interesses de ambos.

De 1990 a 1993 se dedicou a shows regionais, participando ativamente de grandes eventos, tais como a Missa do Vaqueiro em Serrita-PE, além de coordenar a festa de nascimento de Gonzagão, em 13 de Dezembro, no Exu-PE, participando de shows de São João em Campina Grande PB, Caruaru, Recife, Bahia, Aracaju, Brasília etc.

Em 1993, Joquinha Gonzaga grava seu quarto LP, “Sobrinho de Gonzagão, Neto de Januário”. Em 1996, grava seu primeiro CD, intitulado “Raiz e Tradição”, pela Ingazeira Disco, de Alcimar Monteiro, com participações do próprio Alcimar, Joãozinho do Exu e Maída. Em 1997, ainda pela “Ingazeira Disco”, lança o CD “Cara e Coração”. Ainda em 1997, Joquinha Gonzaga participa do álbum duplo de Dominguinhos, que contou com a participação de 22 artistas da MPB, dentre Fagner, Elba Ramalho, Chico Buarque, Daniel Gonzaga, Gilberto Gil, etc.

Em 1998 Joquinha Gonzaga fez homenagem ao tio no “Tributo a Luiz Gonzaga, em Nova York, junto com Oswaldinho e seu primo Daniel Gonzaga”. No ano 2000, lança o CD “De Mala e Cuia”, música de autoria de Flávio Leandro, com a participação de Daniel Gonzaga cantando “Espelho das Águas do Itamaragy”, de autoria de Gonzaguinha e Joquinha Gonzaga. Em 2004, grava seu trabalho “Sanfoneiro da Serra do Araripe”, com apresentação do seu tio, colhida na missa do vaqueiro de 1988. Lança em 2006, “Cantos e Causos de Gonzagão”, sobre as andanças com o Rei de 1975 até 1989. Em 2009, Joquinha grava seu décimo CD independente, “Retrato do Nordeste”. Assim Joquinha Gonzaga segue sua trajetória artística, defendendo a cultura erguida pela figura de seu tio, Luiz Gonzaga.

Sobre Samuel Rocha – Sob influência do choro e da música regional, desde os quinze anos de idade, vem consolidando o seu trabalho no sentido de fortalecer este segmento. Uma característica de suas composições é a evidente presença dos elementos essenciais dos estilos musicais que o inspiram, sem perder a dimensão da contemporaneidade e dos seus aspectos subjetivos, referentes às suas vivências e aprendizados. O que contribui para o fortalecimento da sua identidade como artista. Um de seus projetos atuais é divulgar as suas composições, através do show “Bordando o sete” onde pretende difundir o choro e a música regional, tendo como parceiros músicos também influenciados por esse gênero.

Idealizador do grupo Murmurando em 2006, no qual ainda permanece e registra em
CD do grupo muitas de suas composições, fazendo turnês nacional e internacional, levando a música brasileira para França, Belgica e Holanda.

Como compositor, ficou em terceiro lugar no prêmio de música instrumental da
Rádio Universitária (FM 107, 9) em 2011 com a música “influência”. Já “Baião para Suzana”, compõe a trilha sonora do curta-metragem “Bumba meu peixe”, produzido pela Associação Mundo Animado das Artes-AMANDA (CE), e premiado na 2ª edição do prêmio Cultura Viva, idealizado pelo Ministério da Cultura.

Através do projeto “Um toque cearense,” no ano de 2015, quando em temporada no
Rio de Janeiro, junto com o sanfoneiro Nonato Lima, realizou apresentações na Casa do Choro, na Rádio Nacional e no Bar semente (reconhecido pela valorização da música instrumental). Também com Um toque cearense circula pela capital cearense e pelo interior do Ceará.

No ano de 2017, tocou no festival ChoroJazz em Jericoacoara-CE, ao lado de Jorge Cardoso, Celsinho Silva e Jorge Filho em um show que homenageou Jorginho do Pandeiro.

SESC SONORIDADES NO CARIRI

Show de Joquinha Gonzaga – BARBALHA

Data: 21/04/19

Horário: 15h30

Local: Arajara Park (Sítios Farias e Santo Antônio, s/n°, Distrito de Arajara, município de Barbalha – CE)

Entrada: R$ 38,00 (público em geral) e R$ 26,60 (para quem tem o Cartão Sesc ou Cartão do Empresário)

Show Bordando o Sete – Samuel Rocha – SOBRAL

Data: 25/04/19

Horário: A partir de 19h30

Local: Praça São João

Gratuito

Apresentação do grupo Na Base da Chinela – CRATO

Data: 29/04/19

Horário: 8h30

Local: Feira Livre do Mercado Municipal do Crato

Gratuito

Acesso Rápido

Leia Também

TV Fecomércio

A Fecomércio TV é uma área corporativa na internet. Nela será transmitida a programação da Fecomércio, Sesc, Senac e IPDC. Também será um espaço de divulgação da agenda administrativa e de eventos da instituição.

Facebook

Instagram